• Detalhes
  • Quem somos
  • O Azulejo
  • Painéis e Padrões

Contactos

Telefone:
Morada:

 Rua da Chapaneira nº81-Bicesse

2645-325 Alcabideche

Email:

Horário

Segunda a sexta: 08h00 - 17h00

Desde que em 1988, ano em que iniciámos a nossa actividade que procuramos produzir azulejos com a qualidade, aspecto e características dos azulejos dos seculos XVII e XVIII, para o conseguir seguimos os métodos tradicionais da Azulejaria Portuguesa. Assim fabricamos os nossos azulejos em barro puro, artesanal e semi artesanal via húmida com 14x14x0,8cm, arestas vivas e superfície irregular, vidrados e pintados à mão, conseguindo assim um produto final com a qualidade e aspecto dos azulejos dos séculos passados. Reproduzimos ainda todo o tipo de azulejos antigos respeitando a base do fabrico manual, o desenho e cores dos azulejos a reproduzir. Fazemos também restauro de paineis e lambrins, recuperando os azulejos danificados e reproduzindo os azulejos em falta. Têm sido executados na Cerâmica de Bicesse trabalhos de diversos artistas nomeadamente, Arqtº Álvaro Siza Vieira, Menez, Paula Rego, Graça Morais, Maluda, Lourdes de Castro, Pedro Proença, Eduardo Nery.
Os azulejos depois de fabricados na fieira depois de uma pré secagem são cortados, seguidamente são "encarrados", ou seja, colocados face com face em "carros", empilhados em grupos de 40. São colocados sobre um azulejo cozido e finalizado com um igual, sobre o qual é colocada uma pedra. Esta operação tem a finalidade de evitar o seu empeno até à secagem final. A primeira cozedura, ou seja, a do azulejo crú, é feita em forno a gás à temperatura de 1050ºC. A escolha dos azulejos após a 1ª cozedura é feita através do som resultante de uma ligeira pancada, após a escolha, os que estão em boas condições seguem para a vidragem manual. Depois de vidrados, são desenhados segundo o processo tradicional de picotar o desenho e do uso de uma "boneca" com pó de carvão (estresido). Desenhados e pintados, os azulejos vão mais uma vez ao forno, desta vez fornos eléctricos, cozendo a uma temperatura de cerca de 1000ºC. Só é usada pintura manual e estampilhagem com acabamento manual. Uma vez que a Cerâmica de Bicesse também executa restauros de paineis antigos, os azulejos são de fabrico completamente manual, estendendo-se o barro com rolo da massa e cortando à faca. Todo o restante processo de cozedura, seleccção e vidragem é o aplicado à restante produção.